terça-feira, 1 de novembro de 2011

PESQUISA/ BIOGRAFIA




UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB/EAD
UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL – UAB
LICENCIATURA EM MATEMÁTICA







PESQUISA /BIOGRAFIA







História da Matemática













Jair Jesus dos Santos
Jilberlene Cardoso Pereira
Jose Francisco Pimentel









Pesquisa elaborada e apresentada a UNEB na disciplina: História da Matemática do curso de Licenciatura em Matemática – EAD sob a orientação da professora: Rosemeire de Fátima Batistela.




































"A natureza era para ele um livro aberto, cujas letras ele podia ler sem esforço." Albert Einstein, sobre Newton.










Biografia de Isaac Newton




Consideravelmente não é um post sobre matemática ou algo diretamente ligado, vamos assim dizer; mas se trata de um dos grandes, maiores nomes da Matemática, Sir Isaac Newton; na matemática em si, tal foi importantíssimo, primordial, no desenvolvimento do Cálculo Diferencial e Integral, função limite e no estudo de polinômios; tal é que algo hoje veste no Ensino Médio, carrega o nome dele - Binômio de Newton. (Uma formulação geral para o desenvolvimento de (a + b)^n. De modo, a saber, cada termo, tanto o seu coeficiente, posição, expoentes.)
Contudo, infelizmente, as escolas e mesmo matemáticos, em maioria, conhecem apenas o Newton matemático, o Newton físico; mas pouquíssimo do Newton humano. Como era seu dia-dia, sua história, seus pensamentos. Ou seja, como era a vida do homem que foi até mesmo reconhecido como a "luz do mundo".
Uma criatura humana de personalidade fechada, introspectiva e de temperamento difícil: assim era Newton, que, embora vivesse em uma época em que a tradição dizia que os homens cuidariam dos negócios de toda a família, nunca demonstrou habilidade ou interesse para esses tipos de trabalho. Por outro lado, pensa-se que ele passava horas e horas sozinhas, observando as coisas e construindo objetos.
Fala-se de Isaac Newton como um dos poucos gênios efetivamente produzidos pela humanidade.
Isaac Newton:
* 4 de janeiro de 1643, em Woolsthorpe, Lincolnshire, Inglaterra, embora seu nascimento tivesse sido registrado como no dia de Natal, 25 de dezembro de 1642, pois àquela época a Grã- Bretanha usava o calendário juliano.
31 de março de 1727, em Londres, Inglaterra
A presente figura aqui descrita foi cientista, químico, físico, mecânico e matemático, astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo, trabalhou junto com Leibniz na elaboração do cálculo infinitesimal. Durante sua trajetória, ele descobriu várias leis da física, entre elas, a lei da gravidade.
A vida de Isaac Newton pode ser dividida em três períodos distintos:
 O primeiro vai de sua infância, em 1643, até ser indicado para uma cátedra em 1669.
 O segundo período vai de 1669 a 1687, e foi seu período mais produtivo (era professor Lucasiano em Cambridge).
 O terceiro e último período (quase tão longo quanto os dois anteriores combinados) mostra um Newton oficial bem pago do governo, com pouco interesse em Matemática.
O celebre Isaac Newton veio de uma família de fazendeiros, mas nunca conheceu seu pai - também Isaac Newton - que morreu três meses antes de seu nascimento. Embora Isaac Newton Senhor possuísse propriedades e animais que o classificavam como um homem bem-posto, ele não tinha estudo nenhum e nem sabia assinar o próprio nome.
Curiosamente, Isaac Newton nasceu menos de um ano após a morte de Galileu (que, por sua vez, nascera três dias antes da morte de Michelangelo, um dos maiores artistas do Renascimento). Teve saúde extremamente frágil nos primeiros meses de vida, segundo algumas fontes seu nascimento foi prematuro, não tendo conhecido seu pai, um próspero fazendeiro que também se chamava Isaac Newton e morreu três meses antes de seu nascimento. A mãe de Isaac, Hannah Ayscough, casou-se novamente com Barnabas Smith quando Isaac tinha apenas dois anos. Ele foi então deixado aos cuidados de sua avó, Margery Ayscough. Basicamente tratado como um orfão, Isaac não teve uma infância feliz.
Após a morte de seu padrasto (um clérigo rico, chamado Barnabas Smith, reitor eclesiástico de South Witham), em 1653, Newton viveu em uma família estendida consistindo de sua mãe, avó, um meio-irmão e duas meio-irmãs. Logo após esta época, Newton começou a freqüentar a Escola Livre de Gramática em Grantham. Contudo, ele mostrou não ter um futuro acadêmico muito promissor. Na escola era descrito como "preguiçoso" e "desatento". Sua mãe, agora uma mulher razoavelmente estável no sentido financeiro, imaginou que seu filho mais velho seria a pessoa ideal para gerenciar seus negócios. Isaac foi tirado da escola, mas logo demonstrou não ter nenhum talento - ou interesse - em negócios.
"Seu café da manhã consistia somente de pão com manteiga e chá, feito com pedaços de casca de laranja fervidos em água que ele adoçava com açúcar. Ele bebia vinho apenas no jantar e, na maioria das vezes, bebia somente água."
Um tio de Isaac, William Ayscough, decidiu que ele deveria preparar-se para entrar na Universidade, e persuadiu sua mãe a deixá-lo voltar à escola. Desta vez Newton morou com Stokes.
Apesar dos acontecimentos anteriores, Newton parece ter convencido as pessoas a sua volta de que sim, ele era uma boa aposta no mundo acadêmico.
Nada se sabe acerca do que Isaac estudou para se preparar para a Universidade, mas Stokes era muito habilidoso e certamente treinou Newton e deu-lhe uma boa base.
Newton entrou no Trinity College Cambridge, em cinco de junho de 1661. Ele era mais velho que a maioria de seus colegas e, apesar de sua mãe ser uma mulher de posses, ele entrou como monitor. Um monitor em Cambrigde era um aluno que recebia uma bolsa da escola para servir aos outros estudantes. Este fato é controverso, pois ele parece ter se associado mais com estudantes de "melhor posição" do que com outros monitores. Há também a hipótese de Newton ter sido financiado por Humphrey Babington, um parente distante.
Partindo da idade de aproximadamente doze até que os dezessete anos, Newton foi educado na The King's School, em Grantham (onde a sua assinatura ainda pode ser vista em cima de um parapeito da janela da biblioteca). Ele foi retirado da escola em outubro de 1659 para viver em Wolsltrorpeby-Colster Worth, onde sua mãe, viúva, agora por uma segunda vez, tentou fazer dele um agricultor; mas ele odiava a agricultura. Henry Stokes, mestre da The King's School, convenceu sua mãe a mandá-lo de volta à escola para que pudesse completar sua educação.
Newton estudou no Trinity College de Cambridge, e graduou-se em 1665. Um dos principais precursores do Iluminismo, seu trabalho científico sofreu forte influência de seu professor e orientador Barrow(desde 1663), e de Schooten, Viète, John Wallis, Descartes, dos trabalhos de Femat sobre retas tangentes a curvas; de Cavaliere, das concepções de Galileu Galilei e Johannes Kepler.
Em 1663, formulou o teorema hoje conhecido como Binômio de Newton. Fez suas primeiras hipóteses sobre gravitação universal e escreveu sobre séries infinitas e o que chamou de teoria das fluxões (1665), o embrião do Cálculo Diferencial e Integral.
Um fato que marcou a vida de Newton foi o desenvolvimento do cálculo (diferencial e integral), pois outro importante matemático (Leibniz) também tinha trabalhos nessa área. Está historicamente provado ter havido coincidência de conclusões, alcançadas simultânea e independentemente, pelos dois cientistas. Se, cronologicamente, Newton pode ter chegado, àquele resultado em primeiro lugar, também é certo que Leibniz se mostra mais feliz no capítulo das anotações, criando símbolos que, por comodidade de emprego, ainda hoje são utilizados.
Segundo historiadores naqueles “anos admiráveis”, por causa da peste negra, o Trinity College foi fechado em 1666 e o cientista foi para casa de sua mãe em Woolsthorpe. Foi neste ano de retiro que construiu quatro de suas principais descobertas: o Teorema Binomial, o cálculo, a lei da gravitação universal e a natureza das cores. Construiu o primeiro telescópio de reflexão em 1668, e foi quem primeiro observou o espectro visível que se pode obter pela decomposição da luz solar ao incidir sobre uma das faces de um prisma triangular transparente (ou outro meio de refração ou de difração), atravessando-o e projetando-se sobre um meio ou um anteparo branco, fenômeno este conhecido como dispersão. Optou, então, pela teoria corpuscular de propagação da luz, enunciando-a em (1675) e contrariando a teoria ondulatória de Huygens.
O gênio da humanidade tornou-se professor de matemática em Cambridge (1669) e entrou para a Royal Society (1672). Sua principal obra foi à publicação Philosophiae Naturalis Principia Mathematica (Princípios matemáticos da filosofia natural - 1687), em três volumes, na qual enunciou a lei da gravitação universal, generalizando e ampliando as constatações de Kepler, e resumiu suas descobertas, principalmente o cálculo. Essa obra tratou essencialmente sobre física, astronomia e mecânica (leis dos movimentos, movimentos de corpos em meios resistentes, vibrações isotérmicas, velocidade de som, densidade do ar, queda dos corpos na atmosfera, pressão atmosférica, etc).
Do ano 1687 a 1690, foi membro do parlamento britânico, em representação da Universidade de Cambridge.
De tudo que se sucedeu um outro fato curioso em sua vida ocorreu em 1696, quando Newton muda-se para Londres pelo fato de ter uma depressão nervosa, levando-o a afastar-se durante algum tempo do trabalho científico, e nesse mesmo ano assumiu a inspetoria da Casa da Moeda, e em 1701 Master of the Mint, dois cargos burocráticos da Casa da Moeda britânica. Foi eleito sócio estrangeiro da Académie des Sciences em 1699 e tornou-se presidente da Royal Society em 1703. Publicou, em Cambridge, Arithmetica universalis (1707), uma espécie de livro-texto sobre identidades matemáticas, análise e geometria, possivelmente escrito muitos anos antes (talvez em 1673).
Isaac Newton preocupou-se com o estudo do movimento dos corpos do universo. Demonstrou que os corpos exercem atração uns sobre os outros, formulando a lei da gravitação universal.
Todos os seus conhecimentos em Matemática e Física permitiram-lhe avançar em suas investigações astronômicas e criar, inclusive, um telescópio. Descobriu as leis da gravitação universal. O número de pesquisas e descobertas de Newton é muito grande.
Aperfeiçoou estudos sobre matemática. Esboçou idéias da ciência natural, ao definir os conceitos de massa, causa, força, enércia, espaço, tempo e movimento.
Descobriu as leis que regem o fenômeno das marés, aperfeiçoou a fabricação de lentes e espelhos. Trabalhou na decomposição da luz, criando o disco de Newton. O número de pesquisas e descobertas de Newton é muito grande.
Quando criança, Newton não foi um aluno brilhante, mas gostava de inventar e construir objetos. Graças a um tio, estudou em Cambridge, onde desenvolveu um recurso matemático, o binômio de Newton.
Na época de sua formatura, As reflexões dessa época o levaram a formular importantes teorias.
Em certa ocasião um jovem de mente brilhante numa bela tarde quente, no final do verão de 1666, segurando um livro sob o braço, perambulava pelo pomar da casa de sua mãe, em Woolsthorpe, Lincolnshire, na Inglaterra, procurando um lugar para se concentrar nos estudos, e acomodou-se embaixo de uma árvore, enquanto folheava as páginas do livro, alguma coisa se moveu entre os ramos, acima de sua cabeça. A maçã mais famosa da história estava prestes a cair e colocar em movimento uma cadeia de acontecimentos que transformariam definitivamente o mundo da ciência.
Em momento seguinte, a maçã caiu e aterrissou na cabeça do jovem de 23 anos: Isaac Newton. Sem dúvida doeu, mas também fez o jovem cientista pensar. O fato aconteceu justamente no dia em que Isaac Newton se perguntava qual seria o fenômeno que mantinha a Lua em sua órbita em volta da Terra e os planetas em suas trajetórias ao redor do Sol. E foi somente depois de se indagar sobre a razão pela qual a maçã havia caído, acertando sua cabeça, que ele realmente começou a ter a resposta para essas questões: a Teoria da Gravidade. "O ano milagroso".
Ao observar uma maçã caindo de uma árvore, Newton começou a pensar que a força que havia puxado a fruta para a terra seria a mesma que impedia a Lua de escapar de sua órbita. Descobriu a lei da gravitação universal. Foi a primeira vez que uma lei física foi aplicada tanto a objetos terrestres quanto a corpos celestes. Ao firmar esse princípio, Newton eliminou a dependência da ação divina e influenciou profundamente o pensamento filosófico do século 18, dando início à ciência moderna.
Esta foi a primeira vez que se cogitava que uma mesma lei física, isto é, a atração dos corpos, pudesse se aplicar tanto a objetos terrestres quanto a corpos celestes. Até então, seguinte o raciocínio de Aristóteles, achava-se que esses dois mundos - Terra e céu - tivessem naturezas diferentes, sendo cada regido por um conjunto específico de leis. “Se enxerguei além dos outros é por que estava no ombro de gigantes”, segundo Isaac Newton.
Retornando a Cambridge, redigiu o princípio que trata da atração dos corpos, mas só o retomou em 1682. Nos anos iniciais de sua carreira, desenvolveu o cálculo infinitesimal e descobriu a aceleração circular uniforme (embora não tenha conseguido a comprovação dessa teoria, que exigia conhecer a medida do raio terrestre).
Em 1669 o cientista formulou sua teoria das cores, sobre a refração da luz. Quando um raio de sol atravessa um prisma de vidro, sai do outro lado como um feixe de luzes de diferentes cores, como um arco-íris. Newton fez o feixe colorido passar por um segundo prisma, onde as cores voltaram a se juntar em outro feixe, de luz branca, igual ao inicial.
Com essa descoberta, percebeu que o fenômeno da refração luminosa limitava a eficiência dos telescópios da época. Inventou, então, um telescópio refletor, em que a concentração da luz era feita por um espelho parabólico e não por uma lente.
Em 1671, o cientista assumiu o cargo de professor catedrático de Matemática da Universidade de Cambridge e, no ano seguinte foi eleito para a Royal Society. Nos anos posteriores, tratou das propriedades da luz, explicou a produção das cores por lâminas delgadas e formulou a teoria corpuscular da luz.
Em 2/1/1672, Newton é eleito para a Royal Society e apresenta um relatório sobre a teoria das cores, revelando suas experiências sobre a decomposição da luz branca pelo prisma. Demonstra que as cores primitivas ou fundamentais - amarelo azul e vermelho - possuem caráter especial e não são passíveis de decomposição, sendo este trabalho apresentado á Academia Real de Ciências e em seguida foi lançado um opúsculo com o título " Nova teoria da luz e da cor ".
Em 1675 foi apresentado à Royal Society um trabalho de fundamental importância no campo da ótica que trata das propriedades da luz, bem como, uma explicação da produção das cores por lâminas delgadas. A memória contém ainda o resultado da medição dos anéis coloridos, que ficaram conhecidos como " Anéis de Newton ". Em seguida, formula a teoria corpuscular da luz a qual foi substituída pela teoria ondulatória, de Huygens. Em 1905, Einstein, ao descobrir o efeito fotoelétrico admite haver pontos de concordância entre as teorias de Newton e de Huygens: a energia elétrica estaria concentrada em corpúsculos ou fótons; certos fenômenos, porém, somente podem ser explicados pelas ondas luminosas.
Em 1684, pelo fato da insistência de Edmond Halley - um grande astrônomo daquela época que descobriu o cometa que leva o seu nome - que Newton, retornando à Cambridge em 1686, se dedicou a escrever sua principal obra sobre o título “Philosophiae naturalis principia mathematica” (Princípios matemáticos da filosofia natural), na qual, baseado na lei de gravitação, explica a mecânica de Galileu. O trabalho foi dividido em três partes e trata inicialmente da mecânica racional. Formula definições e axiomas, expõe a lei da inércia, introduz a noção de massa - excluindo a possibilidade de reduzir-se a mecânica à cinemática pura -; nova noção de força, mais o princípio de igualdade entre ação e reação, além das regras da aceleração central no vácuo, completam a primeira parte, intitulada “De Motu corpurum” (Do Movimento dos corpos) terminados e apresentados à Academia Real em 28 de abril de 1686. A segunda é uma extensão da primeira, em que Newton trata do movimento dos corpos num meio resistente, delineando a hidrodinâmica, terminada em 20 de junho de 1687. Finalmente, a terceira parte apresenta a mecânica do sistema universal. Não apenas os movimentos dos planetas, mas também dos cometas e das marés, são examinados à luz de princípios matemáticos, ou seja, esta parte oferece um tratamento matemático ao problema da organização dos sistemas do mundo, precedida de considerações filosóficas a respeito das regras do raciocínio, dos fenômenos e das proposições. Por esta razão foi intitulada “De Sistemate mundi” (Do Sistema do mundo) a qual foi terminada em 1687. O trabalho obteve grande repercussão internacional, mesmo conseguindo uma tiragem reduzida de apenas trezentos exemplares.
Se Copérnico costuma ser visto como o iniciador de um período de progresso intelectual chamado de Revolução Científica, Newton pode ser considerado o ápice dessa ascensão. Suas conclusões explicavam maiores números de fenômenos com o menor número possível de elementos.
Em 1701, porém, é eleito deputado, pelo segundo mandato, voltando também ao magistério apresentando nesse ano à Royal Society seu único trabalho sobre química: uma memória à qual acrescentará pouco depois suas observações sobre as temperaturas de ebulição e de fusão, assim como um enunciado da lei de resfriamento por condução.
Em 1703, foi eleito presidente da Royal Society, cargo para o qual foi reeleito anualmente, enquanto viveu. Também foi de grande importância para a ciência a obra publicada em 1704 sobre o título “Opticks, or A Treatise on the reflections, refractions and colours of light” (Óptica, ou Um Tratado sobre a reflexão, refração e cores da luz). Redigida anos antes, na primeira edição inglesa Newton acrescenta importantes complementos, como, sob o nome de “teoria dos acessos de fácil transmissão”, uma prefiguração da noção de comprimento de onda. Na edição de língua latina, apresenta um apêndice que constitui verdadeiro tratado de cálculo integral. Além disso, na segunda edição de “Opticks”, em 1717, em inglês, inclui 31 Questions, abordando especialmente o problema da matéria e da luz.
Em 1705, iniciou-se a célebre disputa entre seus admiradores (Samuel Clarke) e os de Leibniz a respeito da autoria do cálculo diferencial. Ficou provado que as pesquisas de Leibniz foram posteriores à de Newton.
Em 1707, foi publicado mais uma obra sobre o título “Arithmetica Universalis sive De compositione et resolutione arithmetica " ( Aritmética Universal ou Sobre a composição e resolução aritméticas ), em que Newton exprime em fórmulas matemáticas a lei gravitacional e suas aplicações, estabelecendo os fundamentos do cálculo infinitesimal.
Em 1708 foi elaborada a segunda edição dos “Principia”, que somente apareceu em 1713, sendo feita a terceira edição em 1726.
O fenômeno Newton tinha um vasto conhecimento matemático e um poder de raciocínio que impressionava não só o seu ex-professor Isaac Barrow, mas também toda a comunidade científica. Mas, infelizmente, ele colocava a matemática numa posição secundária, instrumental, a merecer-lhe a atenção na medida em que se revelasse fecunda para a solução de problemas levantados pela mecânica celeste. Neste sentido, somente pesquisa novos métodos na medida em que os já conhecidos se revelam insuficientes. Mas, mesmo assim, é profunda a revolução que introduz no campo da matemática. Basta lembrar que antes dele não se tinha conhecimento do cálculo diferencial.
Todos os trabalhos de Newton, na álgebra, beneficiaram a teoria das equações, com a criação de procedimentos para cálculo de raízes e formulação de regras para determinação do número de raízes de certa espécie. Referindo-”se às raízes imaginárias que denominava “impossíveis”, sua visão instrumental da matemática, leva Newton a afirmar: “ É de conveniência que a equações revelem raízes impossíveis, pois, se assim não fosse, nos problemas, certos casos impossíveis pareceriam possíveis ".
O Principia é reconhecido como o livro científico mais importante escrito. Newton analisou o movimento dos corpos em meios resistentes e não resistentes sob a ação de forças centrípetas. Os resultados eram aplicados a corpos em órbita, e queda-livre perto da Terra. Ele também demonstra que os planetas são atraídos pelo Sol pela Lei da Gravitação Universal, e generalizou que todos os corpos celestes atraem-se mutuamente.
Poucos anos depois da publicação do Principia, o conceito da inércia, ao lado das duas outras leis, já havia começado a transformar o mundo de outros cientistas e engenheiros. Eles adotaram as leis de Newton em projetos de máquinas e equipamentos científicos, relógios e invenções dotadas de rodas, qualquer coisa que envolvesse partes móveis. As leis tornaram possível descobrir se uma máquina funcionaria corretamente mesmo antes de ser construída.
Curiosamente, Newton, ficou com os cabelos grisalhos quando tinha trinta anos, mantendo-se mentalmente em boas condições durante toda sua vida, orgulhando-se de enxergar e ouvir bem e ainda possuir todos os dentes, segundo sua avaliação quando tinha oitenta anos. Tentando avaliar sua carreira, ele disse: “Tenho a impressão de ter sido uma criança brincando à beira-mar, divertindo-me em descobrir uma pedrinha mais lisa ou uma concha mais bonita que as outras, enquanto o imenso oceano da verdade continua misterioso diante de meus olhos”.
Tentando avaliar sua carreira científica, ele disse certa vez: "Tenho a impressão de ter sido uma criança brincando à beira-mar, divertindo-me em descobrir uma pedrinha mais lisa ou uma concha mais bonita que as outras, enquanto que o imenso oceano da verdade continua misterioso diante de meus olhos".
O último ano de verdadeira glória que viveu Newton, na Inglaterra, ocupou-se exclusivamente a dedicar-se, sobretudo a complexos estudos teológicos, filosóficos e históricos. Há controvérsia na data de seu falecimento, pois encontrei datas diferentes: 20 e 31 de março de 1727 em Kensington, Middlesex, com 84 anos depois de passar muitos anos doentes e acamados. Ele foi enterrado entre reis e rainhas, duques e condes da Inglaterra, e foi sepultado na abadia de Westminster, em Londres, no dia 4 de abril, onde lhe foi erguido o maior dos monumentos ali existentes à sua memória. Newton fica assim na história devido a todas as suas descobertas que ainda hoje em dia fazem parte integrante da ciência e da sua constante evolução.
Tão respeitado se tornara em vida, que foi velado durante uma semana no mosteiro, um sinal de respeito normalmente reservado aos monarcas. No funeral, o caixão de Newton foi carregado por dois duques, três condes e pelo Lord Chancellor.
É difícil exagerar a contribuição de Isaac Newton para a ciência. Para muitos, ele foi o mais importante cientista que já viveu. Era, certamente, um homem difícil e polêmico, que nunca pôde tolerar divergências. Ele lutou com todas as armas contra seus adversários e sempre venceu. Muitos não gostaram dele.
Com o avanço da idade, era visto como um homem cada vez mais excêntrico. Tornou-se obcecado em ter seu retrato pintado e insistia em um novo quadro a cada dois ou três anos — o que justifica o grande número de pinturas do idoso Newton que sobrevivem até os dias atuais.
Newton nunca se casou e não tinha herdeiros. Suas propriedades foram ocupadas pelos descendentes de seu padrasto, Barnabas Smith. Mas Newton deixou muito mais para o mundo que uma simples propriedade. Ele criou um novo caminho para a ciência e uma forma totalmente nova de responder as questões, que todos nós admiramos.
Hoje, mais de 350 anos depois de seu nascimento, cientistas em todo o mundo e em todas as áreas de estudo ainda usam os princípios e as idéias deixadas por esse surpreendente homem. Que herança maior pôde alguém jamais deixar?
Em falar da contribuição dessa pesquisa “biografia de Isaac Newton” para a nossa formação como professora, pode dizer que:
Newton foi um gênio na época, é um personagem muito importante na história da ciência, principalmente pelas contribuições que deixou para a física e a matemática. As maiores contribuições que ele fez começam pela postura: ele não admitia nenhuma hipótese a priori, tudo deveria ser fundamentado na experiência. Só essa postura revolucionou o jeito de se pensar a ciência desde então e é a grande responsável pelo atual estágio relativamente avançado da física em particular. Bom, tendo definida esta postura firme e desapaixonada, ele atacou os problemas e fenômenos mais interessantes da época: movimento dos corpos terrestres e celestes, e propagação da luz. No primeiro assunto, ele simplesmente estabeleceu os fundamentos da mecânica, resumindo tudo nas três leis de movimento e na lei da gravitação (colocando ordem e sentido físico nos dados de Copérnico). No meio do caminho, percebeu que precisava de uma matemática diferente da que existia e simplesmente inventou o cálculo diferencial. Na óptica, estudou praticamente todos os fenômenos conhecidos da época, explicaram-os todos em função de um modelo que ele também desenvolveu para a propagação da luz. Ou seja, nos dois grandes tópicos ele não apenas mostrou como os corpos se movem ou a luz refrata e reflete, mas principalmente ele estabeleceu uma causa para todos os fenômenos! A lei da gravitação, atração entre os corpos, explicava tudo na mecânica celeste, junto com as três leis. E o modelo corpuscular para a luz dizia o que ela era. Mais que resolver de forma extremamente elegante e totalmente abrangente os problemas de pesquisa em movimento da época, Newton deixou seu exemplo de ética a ser utilizada para quem quisesse seguir na ciência: a experiência é que reflete o mundo.
É o mais espetacular, ele não tinha nenhuma aparelhagem para poder chegar aos dados que obteve e mesmo assim teve grande êxito nos seus estudos mesmo com o surgimento da mecânica quântica, que dividiu o estudo dos movimentos na mecânica quântica - uma particularidade aplicada a movimentos com velocidades comparáveis à velocidade da luz (3x10e8 m/s) - e na mecânica clássica, ou Newtoniana em sua homenagem, que descreve perfeitamente os movimentos terrestres quer seja de partícula ou de planetas.
Ele foi um presente de Natal para a Humanidade.


Referência:


 Jean-Pierre Maury, Newton, the Father of Modern Astronomy, 1992, Harry N. Abrans, Inc. editor.
 CHIQUETTO,Marcos, Valentim,Bárbara,PAGLIARI,Estefáno; Aprendendo física; Editora Scipione; São Paulo,1996.
 Simmons, George F. (1987), Cálculo com Geometria Analítica, trad. Seiji Hariki, São Paulo: McGraw-Hill.
 CHRISTIANSON, Gale E. In the Presence of the Creator: Isaac Newton and His Times. Nova Iorque: Collier MacMillan, 1984. 608 p.
 DAMPIER, William C. e DAMPIER, M. Readings in the Literature of Science. Nova Iorque: Harper & Row, New York, 1959.
 GJERTSEN, Derek. The Newton Handbook. Nova Iorque: Routledge & Kegan Paul, 1986.
 GLEICK, James. Isaac Newton, uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
 NEWTON, Isaac.Óptica. São Paulo: EDUSP, 2002.
 WESTFALL, Richard S: A vida de Isaac Newton. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.
 NEWTON, Isaac. Principia, Book III . Newton’s Philosophy of Nature: Selections from his writings. Nova Iorque: H.S. Thayer, Hafner Library of Classics: 1953.

Nenhum comentário:

Postar um comentário